Prólogo

Frustrado de uma licenciatura de psicologia que não foi capaz de me transmitir o sabor de conhecimento que procurava.

Teorias do século passado, estudos mais velhos que os meus avós, tudo aquilo que provei na licenciatura me deixou um amargo sabor a pó bem diferente daquilo que sentia que a psicologia é poderia ser.

Louco ou ingénuo, recusei-me a ler papiros por 2 anos mais e percebi que se queria encontrar aquilo que procurava não poderias ser o sistema atual de educação que me o iria oferecer. (Também seria uma aventura muito fraca se te oferecessem o tesouro em vez de o procurares).

Saltei no barco no qual todos os futuros psicólogos deste país navegam e fui em busca daquilo que os professores não ensinam.

Tive a oportunidade de saber que aquilo que procuro já existe, embora um pouco disperso por toda a parte, o verdadeiro conhecimento de si e do ser humano está por aí.

“(…) aquele que não se conhece a si mesmo nem ao inimigo será derrotado em todas as batalhas.”

Ensinaram-te matemática no primeiro ano, mas chegas hoje a uma certa idade e não fazes a mínima ideia de como a tua própria cabeça funciona. Isso resulta naqueles que tantas vezes dizem “não consigo” somente porque não fazem ideia que há forma, ferramentas e técnicas concretas de fazeres um só com a tua mente e trabalharem para o teu bem.

Alguns sabem que é possível, com artimanhas e pontos de vistas cavalgarem e se divertirem com as dificuldades, mas não é conhecimento fácil de encontrar. Por vezes aparecem gurus, que vendem partes do puzzle, mas uma só peça não ajuda realmente.

A minha missão

É encontrar ou criar, se necessário, técnicas palpáveis, caminhos claros de A a B, de forma a dominares e entenderes aquilo que se passa no teu cérebro, e evitares ficares bloqueado ou renunciares do teu objetivo.

Eu sei, mas não seu preocupem, não trago nada de esotérico, princípios da felicidade abstratos, remédios de autoajuda a 2,5 €. Não sei tudo, imensamente longe disso, mas tenho a chance de poder dedicar todo o meu tempo a aprender e explorar aquilo que todos nós necessitamos, nos compreendermos.

Acho que esse é o primeiro passo de uma vida, e a partir daí terás muito mais coragem de te aventurares a seres ti próprio neste mundo, pois venha o que vier, sabes que te vais desenrascar.

Embarca nesta aventura até ao centro da tua mente,

pois tudo o que se passa na tua cabeça, é Psico(lógico).

Partilha este artigo:
  •  
  •  
  • 11
  •