Filme “The walk”- Philippe Petit

“Porque tentou algo tão perigoso?”

“Não sei dizer porquê. Quando vejo um sítio para esticar o meu cabo, não resisto.”

Hoje venho sugerir-vos a exploração da história do funambulista francês Philippe Petit que, em 1974, atravessou ilegalmente as torres gémeas do World Trade Center.

A história verídica de um jovem sonhador e de um grupo de improváveis aliados que juntos conseguem o impossível: colocar um fio ilegal no tremendo espaço entre as torres do World Trade Center, em Nova Iorque.

Flow

O filme “The walk” ilustra bem e permite sentir da forma clara o conceito de flow.

        O nevoeiro antes do primeiro passo e a mente que se limpa após este ser dado.

        O silêncio, a calma e a serenidade que Petit descreve ter sentido quando percorria o seu cabo.

flow foi definido pela primeira vez como uma sensação holística que as pessoas têm quando agem com total envolvimento, quer dizer, quando se está totalmente emerso numa tarefa de que se gosta e que seja desafiante (jogar futebol, dançar, jogar).

Esquecemos totalmente o que estamos a fazer. Fazemo-lo simplesmente. As horas esgotam-se rapidamente sem a nossa perceção.

O conceito de “Flow” foi criado por Mihaly Csikszentmihalyi, que explorei vagamente num artigo anterior.

Deixo-vos a foto final de Petit após a sua detenção, na qual o podemos ver com uma incomensurável felicidade.

PS: Recomendo o visionamento do documentário, no qual há um maior relato do “pós-caminhada”, um episódio caricato de Petit com uma fã e, sobretudo, o testemunho da namorada.

  1. Filme – “The walk” 2015
  2. Documentário – “Man on Wire” 2008
  3. Ted- The journey across the high wire
  4. Karen Stansberry Beard (2014). Theoretically Speaking: An Interview with Mihaly Csikszentmihalyi on Flow Theory Development and Its Usefulness in Addressing Contemporary Challenges in Education
Partilha este artigo:
  •  
  •  
  • 6
  •  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *