O santo,o surfista e a executiva- Resumo

O santo, o surfista e a executiva

Hoje venho-vos apresentar um resumo do livro que possui grande sabedoria, denominado “O santo, o surfista e a executiva “de Robin S.Sharma.

Se vos venho falar deste livro não é pela sua narrativa, mas pela sabedoria e filosofia nele contido, uma forma de ver o mundo que, se não mudar totalmente o seu ponto de vista sobre a nossa função na terra, ajudará pelo menos a perceber algumas coisas. Embarca com o Jack nesta aventura ao fundo de ti próprio.

Jack é levado ao hospital após um acidente, acabando por partilhar o quarto com um velhote chamado Cal. Ao longo da história Jack irá conhecer 3 personagens que lhe trarão a sabedoria e as técnicas necessárias para viver uma vida digna de ser vivida.

Cal explica a filosofia em geral, enquanto que as 3 personagem do título trazem estratégias concretas para pores em prática. O padre irá focar-se no conhecimento próprio, o surfista sobre o amor de si e dos outros, e finalmente a executiva aplica a sua sabedoria concretamente ao mundo do trabalho e dos negócios.

Cal

Ensinamentos

1- Se és daquelas pessoas que passa pela Bertrand ou pela Fnac, e que te sente sempre tentado de ir comprar mais um livro, como uma vontade de conhecimento vinda do nada, mas que já sabes que vais comprar o livro e nunca o acabar heis o que Cal nos ensina sobre essa tendência:

Comprar mais livros do que aqueles que conseguimos ler é um sintoma de que a alma está a tentar alcançar o infinito e essa paixão é a única coisa que nos ergue acima das alimárias que perecem

Ou seja, se tens aquela intuição, aquela vontade de comprar um livro, é sinal que o teu cérebro quer alimentar-se de sabedoria que ele sabe ser necessária, pois sente que precisas de mais do que possuis agora, e deves procurar por esse acrescento.

2- Os maiores erros da nossa vida são igualmente as nossas maiores lições.

“Acho que o verdadeiro segredo da vida é transformar as conclusões retrospetivas em intuições para o futuro.”

Por conclusões retrospetivas, Cal fala-nos aqui dos erros que já cometemos.

A filosofia ou ensinamento por detrás disso é que deves ter a capacidade de transformar as feridas em sabedoria, tirar conhecimento do passado.

Aceitar o erro diariamente, sem medo de o cometer, pois este é bom para nós. Viver a vida, errar, ter noção desse erro, aprender a lição e, deste modo, da próxima vez que uma situação idêntica de desenrolar, saberás o que não fazer, e talvez já tenhas pensado ou descoberto a melhor solução.

Quem não aprende no passado repete no futuro

É a responsabilidade de nos analisarmos, e de termos noção do que somos, do que andamos cá a fazer e de como estamos a crescer e evoluir. É disso que Cal nos fala de seguida:

3- A responsabilidade de fazer o nosso trabalho interior.

É a nossa maior responsabilidade. examinarmo-nos a nós mesmos e descobrir o nosso verdadeiro eu, o nosso verdadeiro ser, e tudo o que somos enquanto seres humanos é o objetivo central da vida.”

Para começar esse trabalho interior, esse que nos leva ao sucesso, a estarmos bem connosco e de seguida com o mundo, o primeiro passo é:

A. Encarar a nossa mortalidade.

Temos que entender profunda e emocionalmente que as nossas vidas são curtas e que o nosso tempo é limitado. É a tal questão “Se te restasse apenas um ano de vida?”.

Somos tantas vezes sabotados com os desejos dos outros, ou o que a sociedade acha que deveríamos fazer. A tua felicidade não é igual à do teu vizinho, só tu a podes descobrir, não deixes que os outros pensem que têm o direito de saber o que é melhor para ti. No fundo, tu já sabes, tens é provavelmente medo de o expor, medo que te achem diferente ou esquisito. Mas não serás realmente feliz enquanto não o fizeres.

A grande e gloriosa obra-prima dos seres humanos é viver por linhas bem traçadas. Todas as outras coisas são apenas adereços e apêndices irrelevantes” Michel Eyquem de Montaigne.

A vida é um dom frágil que deve ser vivida agora, neste preciso momento”.

4- As Derradeiras Perguntas

Cal explica que, no momento da tua morte, no teu último fôlego, estas serão as 3 perguntas que te passarão pela cabeça:

-Vivi sabiamente? (Lição do Padre)

-Soube amar? (Lição do Surfista)

-Cumpri a minha missão para com os outros? (Lição da Executiva)

5- Todas as pessoas que surgem diante da tua vida têm uma valiosa lição a ensinar-te.

6- A filosofia de Cal

O caos é na realidade toda uma organização que não compreendemos. Tudo tem uma lógica,

não há jamais coincidências, não há sorte ou azar, mas sim um processo inteligente concebido para nos ajudar a evoluir e transformarmo-nos em seres melhores.

Temos que confiar e aceitar que é assim que as coisas funcionam. Todos nós nascemos para apresentarmos os nossos dons ao mundo. Mas as coisas estão organizadas para primeiro teres de fazer um trabalho interior, a fim de descobrir esses mesmos dons. Conhecer-se a si próprio, e de seguida, olhar para as nossas crenças limitadoras e transformá-las. Analisar as nossas falsas ideias sobre o que podemos ser e recriá-las. Enfrentar os medos e lidar com eles. E só desse modo poderemos abrir os nossos corações e preocuparmo-nos mais com a felicidade das outras pessoas, e, ironicamente, apenas assim seremos felizes.

“A maior parte das pessoas negms os seus sentimentos. A sociedade ensinou-nos a fazer isso. Desde de muito pequenos, divorciamo-nos da maneira como sentimos. Dizem-nos para não chorar, dizem-nos para não rir demasiado alto e dizem-nos que é errado sentir tristeza ou exprimir a nossa raiva. Mas os sentimentos não estão nem certos nem errados. São, simplesmente, os nossos sentimentos e constituem uma parte essencial da experiência humana. Se os negares começarás a fechar partes de ti próprio. Se continuares a fazê-lo perderás a noção de quem realmente és. Começarás a viver completamente dentro da tua cabeça e deixarás de sentir”.

E aqui Cal alerta-nos para o facto de pensar, pensar de forma incessante (overthinking), o que mina a tua paz interior. Desperdiçamos o momento presente a pensar em futuros e passados, mas sentir plenamente o momento atual é a nossa única maneira de realmente viver.

7- Liderança interior.

A liderança aqui mencionada vai muito além do conceito de liderança mais vulgarmente utilizado no mercado de trabalho.

A liderança interior está aqui ligada à responsabilidade. A responsabilidade de cada pessoa assumir a sua autodescoberta e criação de valor no mundo.

Se há algo bem conhecido em psicologia, é que meter a culpa em alguém é apenas um mecanismo de defesa para não nos pormos a nós próprios em questão. É fácil apontar o dedo a outro pelos problemas que temos. Culpar os outros não passa de uma autojustificação. Culpas os outros pela tua qualidade de vida, no fundo procuras mostrar que és apenas uma vítima.

Se te resignas a meter a culpa nos outros, onde está a liderança na tua filosofa de vida?

Se não houver nenhuma, estás a assumir que para a tua vida ser feliz terias que mudar o governo, o teu patrão, os condutores, todo o mundo seria à tua maneira.

É melhor usar pantufas do que tentar colocar um tapete no mundo.”

8- Cada vez que apontas o dedo a alguém, os outros 4 estão a apontar para ti.

Santo- Vivi sabiamente?

O primeiro mentor de Jack é um padre que vive em Roma, cidade para a qual ele se dirige.

Ensinamentos:

1. “A própria condição do ser humano é imperfeita, mas descobri que somos perfeitos nessa nossa imperfeição.”

Se fosses perfeito não terias nada a desenvolver. É a imperfeição que dá sentido à vida.

2. “Deves aceitar o teu lado negro.”(ex: egoísmo). Para alcançares a paz interior tens que aceitar tudo o que és, só assim terás realmente amor próprio, e só assim serás realmente feliz.

Imagina a seguinte situação, apaixonas-te e passado algum tempo estás seguro na tua relação. O teu lado negro vai começar naturalmente a sair, porque quando te sentes seguro, o teu verdadeiro ser espreita pela armadura social que a maior parte de nós construiu para parecer bem aos olhos do mundo. Talvez a tua parceira não te reconheça passado algum tempo. Sê genuíno!

3. As tuas resoluções moldam a tua vida.

Por isso toma todos os dias a resolução consciente de fazer mudanças, procura maneiras de expandir os teus limites, de enfrentar os teus medos, dedica-te a uma descoberta constante e inacessível.

4. “Não há bom nem mau, apenas é”.

Mais uma vez, tudo na vida são lições a serem aprendidas, senão o ciclo não avança e, mais uma vez, a causa de não estares a aprender a lição pode ser o facto de culpares os outros e não a ti por não saberes lidar com a situação.

A tua realidade atual não passa de um reflexo perfeito das lições que mais necessitas aprender.”

“A vida por si só, dar-te-á dor. A tua responsabilidade é criar alegria” Milton Erickson.

Faz do fracasso um amigo, tudo o que te chateia, te stressa é uma lição a aprender (porque ainda não sabes lidar com isso = medo =limites).

Há uma frase de Buda no livro que diz “Imagina que todas as pessoas no mundo são esclarecidas menos tu”. Se a lição que a tua vida necessita de aprender é ser menos controlador talvez vão aparecer pessoas extremamente controladoras. Se tiveres que aprender a aceitação irão aparecer pessoas que te põem louco. Aprende a lidar com isso.

5. As pessoas só despertam o que já existe em ti (condição preexistente).

Não é propriamente a pessoa que te irrita, ela só vai despertar a raiva que já existe dentro de ti. Pois alguém que não está em conflito consigo mesmo não arranja conflito com os outros. “Vemos os outros à nossa imagem”. Pensa, se nunca te tivessem coberto de amor, como serias capaz de reconhecer quando alguém te o estaria a fazer?

Os únicos demónios que existem no mundo são aqueles que temos alojados nos nossos corações. É aí que a batalha deve ser travada”

Se alguém tiver um conflito contigo entende algo importante, as pessoas agem ou por medo ou por amor, se essa pessoa está em conflito é porque está com medo de algo. Queres uma solução fácil, dá-lhe amor. Como se fosse uma criança com medo do escuro, não é a berrar ou a lutar com ela que se vai resolver. Ajuda-a, com amor.

6. O conceito de autoaperfeiçoamento é ERRADO!

O verdadeiro sentido da vida é a autorrevelação. Revelar o melhor de ti ao mundo. Mas necessitas primeiro de te descobrires. Quando eras pequeno, eras inocente e puro rebordante de imaginação, fazias tudo sem a adulta necessidade de entender as coisas na sua totalidade, vivias cada momento plenamente, sem medos; mas a sociedade mudou-te e perdeste-te no teu caminho, tens que voltar a aprender o que eras. Aliás, não foi a sociedade que te mudou, tu traíste-te a ti próprio em prol das crenças da tua sociedade. Queres agradar aos outros e comportas-te de uma maneira que não é a tua, calaste os teus sentimentos e começaste a racionalizar, a julgar e preocupares-te em vez de te divertires.

Não podemos abandonar a exploração. E o fim de toda a nossa exploração será chegar ao ponto de partida e conhecer esse lugar pela primeira vez” T.S. Eliot #Alquimista .

Tu não te aperfeiçoas como se fosses uma máquina, tu descobres-te. Tu já és perfeito.

Os pais devem ser sábios guiadores, eles existem para pôr limites no teu comportamento, mas não no teu espírito.

A maior parte das pessoas morre com a música ainda dentro de si” Thoreau.

“Se um homem não acompanha o ritmo dos seus companheiros, é porque talvez ouça um tambor diferente”. Thoreau

Por isso aceita a vontade dos teus amigos, mesmo que possas não concordar com eles. Eles podem até já ter medo de serem diferentes, dá-lhes o amor incondicional que eles necessitam, não sejas tu a privá-los do que eles realmente são.

7. “O sucesso é simplesmente viver a vida de acordo com a nossa própria verdade e com os nossos próprios parâmetros.”

Não faças aquilo que a psicologia denomina como “Negação”, ou seja, um mecanismo de defesa, que serve para mentir a nós próprios para evitar a dor da verdade. Negas a ti e aos outros porque há algo que não queres mostrar a ninguém. Mas tens que aceitar o que te agrada e o que não te agrada sobre ti mesmo.

Cada Homem tinha apenas uma vocação genuína, descobrir o caminho que o levava a si próprio” Herman Hesse

8. Lacuna de integridade- Sê autentico, sê verdadeiro, sê tu próprio.

Assim que fores integro contigo, a tua autoestima vai aumentar incomensuravelmente e libertar um tremendo grau de confiança. Quando o teu ser social se tornar representativo do teu ser verdadeiro. Alinha o teu ser interior com o ter ser exterior.

·“O grau de pensamento que te trouxe até onde estás hoje não te levará até onde sonhas estar”. Albert Einstein

Aceita o medo “O lugar onde vivem os teus maiores medos é também o lugar onde reside o teu maior crescimento”.

O surfista- Soube amar?

O surfista é o próximo mentor do protagonista, e este vive sozinho numa bela praia. Antigo criador de uma agência de marketing de sucesso, irá debruçar-se sobre 3 tipos de amor: Amor próprio, amor pela família, amor pela vida e seus milagres.

1. As pessoas vivem demasiado dentro da sua cabeça e pouco dentro do seu coração.

Amor próprio, amor pela família, amor pela vida e seus milagres.

A tua visão tornar-se-á clara somente quando olhares para dentro do teu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, desperta

Podes ter um mundo externo rico e cheio de luxúria acessória, mas de nada servirá se o teu mundo interno for caótico.

Primeiro – Trabalha o teu interior, um mundo interno rico torna o mundo exterior mais belo, mesmo que este tenha pouco. Por exemplo, nunca te sentiste tão feliz num determinado momento, ou tiveste uma epifania na tua vida, que transformou quase que por magia todo o mundo num lugar melhor, em que tudo fazia sentido, em que tudo era bom. Bem, aí tens um exemplo do que é ter um mundo interior rico (mesmo que por alguns instantes) que torna o mundo externo melhor.

Como fazes isso? É tão simples como mudar de ponto de vista, pois é isso mesmo. Citando o livro “Quando vês as coisas de uma perspetiva mais elevada, apercebeste-te de que pormenores aparentemente isolados se encontram, na verdade, todos interligados. E, para mim, isso é um milagre. Um milagre não passa de uma mudança de perspetiva que te ajuda a ver as coisas de uma maneira nova.”.

É isso que dá beleza ao mundo, quantas pessoas, quantas culturas, quantos filósofos não possuem uma forma diferente de ver o mundo, ou apenas de ver pequenas coisas. Poderíamos então formar um puzzle de perspetiva que tornaria nossa vida mais bela e harmoniosa.

2. Equilíbrio entre mente e coração

O problema dos extremos:

· Pessoas que vivem somente no coração

São pura emoção e sentimento. Estas pessoas têm, muitas vezes, dificuldades em funcionar no mundo real, pois dão a sensação que são uns tolos românticos com pouco discernimento e nenhum sentido prático.

· Pessoas que vivem somente das suas cabeças

São pura razão e lógica, e não permitem que a intuição e a paixão as guiem.

· Equilíbrio

Cabeça e coração trabalham juntos – “Viver de maneira sábia mas bondosa, prática mas espontânea, corajosa mas solidária, responsável mas apaixonada”.

3. Segredo “Para que a tua vida seja grandiosa, a tua fé deve ser maior do que os teus medos”.

Não tenhas medo de seguir os mistérios ou os abismos para os quais o teu coração te guia, sem eles nada aprenderás.

4. Quando perdes a ligação contigo próprio

(Como vimos, ignorar o que o teu coração e a tua intuição te dizem podem levar a tua vida bem longe do que seria o ideal. Se atualmente estás triste com tudo e não sabes bem porquê, se nem sabes definir o que és ou o que queres, se sente que andas perdido desta vida e não sabes os caminhos que te guiam, é bem provável que tenhas perdido a ligação contigo próprio).

Como recuperar? Reflete no tipo de coisas que te fazem feliz, sai da luta contigo próprio, faz o que a tua intuição te diz.

5. As 4 fases de evolução

I. Incompetência inconsciente – Infelizmente é onde a maior parte das pessoas passa a vida. Esta é a fase introdutória, onde não sabes o que não sabes, és um ignorante sobre tudo o que te falta saber e tudo o que a vida poderia ser.

a. Mas assim que abres os olhos e acordas assumindo a responsabilidade da tua vida, passas à fase seguinte.

II. Incompetência consciente – Aqui tornas-te ciente da incompetência com que geres a tua vida, e tens noção de todas as coisas que ainda não sabes. Continua o trabalho interior, para alancares a próxima fase.

III. Competência consciente – Este nível é caracterizado pelo aparecimento de resultados maravilhosos nas nossas vidas, estamos continuamente a criar uma existência extraordinária. A única falha é que estás a tentar, ainda lutas, ainda é um esforço, ainda gera stress.

IV. Competência inconsciente – Fase de mestria, já não tem a ver com aprender ou fazer mais, mas simplesmente ser.

Tudo isto numa lógica de que a vida tem uma certa velocidade, por vezes andas a correr de um lado para o outro e não sabes bem porquê nem onde vem toda a pressa. Deves viver num equilíbrio entre o racional e o coração.

6. O coração abre-se a partir do momento em que te empenhas em ser uma pessoa mais carinhosa, que prestas mais atenção à forma como tratas as pessoas.

Como?

A. Meditando sobre o facto de te tornares mais solidário;

B. Ser mais prestável “As coisas mais fáceis de fazer são igualmente as mais fáceis de não fazer”. Simples gestos que cortesia ou gentileza, que tu até pensas neles, mas não executas;

C. Podes fazer coisas boas pelas pessoas todos os dias: segurar a porta, pagar o café, deixar passar a frente na fila.

7. Ter a capacidade de nos perdoarmos a nós e aos outros. Senão, é um fardo que arrastas. As pessoas só te magoam porque agiram sobre influência de medo. Perdoar é aceitar e perceber a pessoa que o fez.

As pessoas agem por medo ou por amor.

Ex. Imagina que és o patrão de um estabelecimento e o teu empregado te rouba dinheiro. Dá-lhe amor, tem a capacidade de perceber o medo dele. Esta é uma real prova, pois custa-te perdoar, libertares-te dessa dor. É uma oportunidade de aprendizagem. Aprende a lição e avança.

E quando custar perdoar, relativiza “Chorei porque não tinhas sapatos nos pés, até que vi um homem sem pés”

Para as pessoas que se zangam sem ter, por vezes, noção da ridicularidade do motivo dessa e não se apercebem da sorte que possuem, e para as pessoas que se zangam com irmãos pois não entendem o que os levou a fazer determinada coisa… se o teu irmão morresse esta noite? Reflete tu, se valeu a pena a zanga e o tempo perdido por ela.

Cultiva a gratidão. Oferece cartas de amor, prendas (sorrisos, abraços, flores do teu jardim). Quanto mais amor deres aos outros, mais amor sentirás por ti.

8. Importância de:

A. De um dialogo interno carinhoso.

B. Cuidado com as palavras utilizadas, cada palavra tem uma certa energia.

É citado uma teoria, em que os físicos defendem que vivemos num “Universo Holográfico”, o que significa que recebemos precisamente aquilo que damos.

Frases negativas possuem uma energia com determinada vibração. A física diz-nos que as coisas que vibram à mesma velocidade se atraem umas às outras.

O teu pensamento acaba por se tornar a tua Auto profecia (pensa positivo e para de te queixar). Isto são leis da natureza com base em factos científicos.

Trabalha, por isso, a tua capacidade de visualização.

O surfista possui na história uma “Prancha de palavras” que repete todas as noites. Na lógica de atrair as energias certas, e não esquecer o que procura. As palavras são “Harmonia, Paz, Felicidade, Alegria, Sabedoria, Vitalidade, Verdade, Divertimento, Compaixão, Abundância, Perdão, Equilíbrio, Coragem, Amor”.

9. Segue o teu coração “Um erro só é um erro se o repetires”. A primeira vez é uma lição.

10. A dor é uma dádiva. Abre e mostra-nos a maravilha do mundo, e cresces sempre após ela. São os altos e baixos da vida.

“Adversidade é o pó de diamante com que o céu lapida as suas joias” Thomas Carlyle

Tu és uma joia, a dor revela-te a ti mesmo.

Não tenhas medo da dor, abraça-a. Uma vida fácil é uma vida vazia.

11. Desenvolve o teu amor-próprio

Atividade de auto apreço (massagens, boa música, ver estrelas, alimentar-te bem, ler bons livros).

O surfista, ensina-nos 5 práticas de Auto apreço que ele mesmo aplica.

A. Simplifica (evita coisas que complexifiquem a tua vida, desde de relações, a subscrições)

B. Escreve um diário “Uma vida digna de ser vivida, é digna de ser registada”. E por outro lado permite despejar um pouco a tua mente, desabafar.

Escreve a respostas todas as manhãs ás seguintes questões:

-Como viveria este dia se fosse o último?

-O que tenho de agradecer à minha vida?

-O que posso fazer hoje para tornar a minha vida extraordinária?

-O que posso fazer para tornar o dia de hoje extremamente divertido?

-Como é que posso ajudar alguém, hoje?

Como é dito no livro, podem parecer imensas tarefas a fazer. Deves tentá-las e integrá-las se fizerem sentido. Tal como não vais trabalhar sem tomar banho ou lavar os dentes pois são coisas que te fazem sentir melhor para o teu dia e para as tuas tarefas.

C. Dedica-te um retiro silencioso de alguns minutos.

D. Contacto com a natureza (passeio na floresta, no jardim, surf).

E. Cuida do teu corpo (exercícios e massagens, boa alimentação).

A EXECUTIVA- Cumpri a minha missão para com os outros?

1. A importância de todas as escolhas que fazemos.

Como Einstein disse: “Quantas pessoas estão presas aos seus hábitos diários: semiadormecidas, semi-assutadas, semi-indiferentes ?”.

Quem és tu hoje? Apenas a soma total de todas as escolhas que fizeste. As pessoas que te rodeaste, os livros que leste, as ações que praticaste moldaram a tua vida atual. Mais ninguém o fez por ti.

“Cada um colhe o que semeia, e na cama que fizeres te deitarás”

2. “O homem sábio faz sempre, de imediato, o que o tolo deixa para o fim”.

3. Assumir a responsabilidade da própria vida, cumpre as tuas promessas, preocupa-te genuinamente com as pessoas que fazem parte da tua vida.

4. Confiança é a chave dos negócios.

5. A confiança que tens com as pessoas funciona como uma conta, nas quais fazes depósitos e levantamentos.

Depósitos– Cumprir promessas, a tua palavra, chegar a hora ao encontro, dizer obrigado, fazer um favor.

Levantamentos– É o “luxo” de poderes faltar à tua palavra, pois cumpriste-a sempre, então a pessoa sabe o que vales, e não te irá culpar (por exemplo se tiveres que desmarcar um encontro).

Namaste” significa: Honro o melhor e o maior que há em ti.

Honra sempre do melhor que podes a pessoa que tens à tua frente.

6. Para teres mais no mundo, tens que dar mais aos outros

O dinheiro é apenas uma “tradução/conversão/símbolo” do valor que dás aos outros.

As melhores empresas não são aquelas que se preocupam em gerar dinheiro, mas sim valor, serviço e ajuda aos seus clientes.

7. Não há empregos pequenos, todos trazem valor.

“Por mais insignificante que seja a coisa que tens a fazer, fá-la o melhor possível, empenha-te nela como te empenharias numa coisa que consideras importante. Pois é por essas pequenas coisas que serás julgado” Mahatma Gandi

“O mais fraco de nós tem um dom, por mais trivial que possa parecer, que lhe é peculiar e que, se usado de forma digna, será também um dom para a sua raça.»” John Ruskin

Pensa nos homens que recolhem o lixo durante a noite, já pensaste no valor que eles trazem a uma cidade? E se não houvesse ninguém para prestar esse serviço?

O verdadeiro caminho para o sucesso.

8. O que conta é a viagem e não o destino.

O valor está no processo e não no destino. A chave do sucesso não está em atingir os teus objetivos, está naquilo em que te transformas. As lições que aprendes, as mudanças interiores, de consciência.

9. Só há duas razões para trabalhar no mundo dos negócios: como já foi dito, trazer um bem maior para o mundo e pessoas, e crescer.

10. Há pessoas más?

A. Como reagir?

Solidário e compreensivo. Não te deixes espezinhar cedendo. Gostas demasiado de ti para isso. Chama a atenção de maneira compreensiva e firme. Fala de maneira não ofensiva, mas avisa que não tencionas permitir que te tratem mal. Assim consegues fundir compaixão e coragem, e ensinas às pessoas como te devem tratar.

B. Se alguém te trata mal é porque, num 1º encontro, o permitiste e não definiste os teus limites, não lhe dizendo que o comportamento dele era inaceitável.

11. Competição- “Para ganhares ninguém tem de perder”.

A. O medo da competição faz-te desconfiar dos outros.

B. A competição cria uma obsessão de sermos melhor que os outros. Quando deves apenas ser melhor que tu próprio.

C. A solução para essa obsessão está em confiar mais no universo e aprender a descontrair.

Queres ganhar uma corrida? Bate os teus recordes, treina e supera-te, não precisas de fazer rasteiras aos outros.

Capítulo final e resumo

5 passos para manifestar desejos do coração e se realizarem.

1. Expressa a tua visão.

Nomeia os teus desejos. Quanto mais clareza, cor, emoção e definição conseguires dar ao objetivo que visualizaste mais probabilidade terá de ser realizar. Tens de definir os teus objetivos senão não passam de intenções. Põe em papel, associa palavras, tudo isso ajuda.

2. Estratégia.

Não serve sonhar de braços cruzados, e um objetivo muito grande é intimidante. Divide-o em pequenas tarefas exequíveis.

3. Auto-contrato

Assina um contrato contigo próprio e mete-lhe um carimbo para que pareça oficial. Senão as ideias irão morrer em esboços sobre a:

Lei da Intenção Esmorecedora- Quanto mais tempo decorre entre teres determinado o teu objetivo, menos provável é que o realizes. A tua vida diária começa a interferir nos teus objetivos, e acabas por criar 1001 desculpas. A solução para te auto responsabilizares é recorreres ao:

Serviço de um guia ou criares uma aliança entre pares caso não tenhas dinheiro.

4. Medição

O que não é medido não é dominado.

Criar medidas diárias – Na autobiografia de Benjamin Franklin (Talvez brevemente aqui) Este desenvolveu 13 virtudes que todas as noites teria de monitorizar a fim de se analisar enquanto pessoa. Isso ajudava-o a caminhar na sua visão.

Como vimos, é no erro que se aprende, é um local fértil de crescimento. “Deixa o passado servir-te”. Se medires constantemente a forma como ages em função dos teus objetivos, poderás ajustar o rumo que a tua vida leva, e assim realmente chegar ao destino que pretendes.

5. Celebra os teus momentos de orgulho.

Nos momentos da semana em que ganhaste pontos, porque estás mais perto do teu objetivo, porque realizaste e avançaste no teu trabalho.

Por vezes perdes a inspiração porque estás mais focado no que não está a funcionar do que no que está.

Aprende a celebrar os teus pequenos êxitos, eles encherão a teu coração de entusiamo e alegria. Começa a apreciar as pequenas vitorias.

Vive a tua vida todos os dias como se escalasses uma montanha. Um ocasional olhar de relance para o cume lembra-te o teu objetivo. Poderás contemplar belas paisagens a cada novo patamar. Sobe devagar, a passo firme, apreciando cada instante fugaz e a vista do cume será o clímax devido da tua viagem.”.

 

“Se todos varrerem a porta de sua casa, o mundo inteiro ficará limpo” Madre Teresa

Liminares para uma vida bela

1. A principal tarefa de qualquer ser humano é executar o seu trabalho interior, se aprofundar a cada dia, para se tornar o que realmente é.

2. Encara a vida como uma fantástica escola de crescimento. “Que oportunidade é que esta pessoa ou situação representa?”.

3. Sê para ti mesmo autêntico e verdadeiro.

4. Colhes aquilo que semeias.

5. Vemos o mundo não como ele é, mas como nós somos.

6. Vive no teu coração.

7. Encara a vida com curiosidade.

8. Cuida de ti.

9. Constrói ligações humanas.

10. Deixa um legado.

 

Pesquisa efectuada para encontrar este artigo O santo o surfista e a executiva download grátisRobin Sharma O santo o surfista e a executiva pdf
Partilha este artigo:
  •  
  •  
  • 3
  •  

Comments

  1. Post
    Author
    admin

    Pessoal, foi um artigo que deu muito trabalho, é com orgulho que o publico. Por favor, estejam à vontade para comentar, dar feedback, pedir livros, mas sobretudo discutir ideias, obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *